“Comece a escrever. Eu não quero que isso soe a falta de consideração, mas COMECE A ESCREVER. NÃO EXISTE essa de ‘muito tarde’ nas artes. Acredite. COMECE.”

– PATTON OSWALT

“Quando é hora de escrever, eu não faço outline e eu não faço nenhuma outra coisa. Eu apenas me sento e escrevo. Se não for emocionalmente honesto, então não é bom, e essa é minha única regra”

– SHONDA RHIMES

“Uma forma de se ter ideias é fazer algo chato… Elas voam pra sua cabeça como pássaros”

– JOHN CAGE

“Escreva todos os dias, linha por linha, página por página, hora por hora. Faça isso apesar do medo. Porque, mais que qualquer outra coisa além de imaginação e habilidade, o que as palavras pedem de você é coragem, coragem para arriscar a rejeição, ridicularização e fracasso. Enquanto você segue a missão de histórias contadas com significado e beleza, estude atentamente, mas escreva com coragem. Então, como o herói da fábula, sua dança vai deslumbrar o mundo.”

– ROBERT McKEE

Qual é a cara da história? Uma conversa sobre capas de livros

Você já pensou em tudo o que há por trás do processo de elaboração das capas dos seus livros favoritos? Nesse TED-Talk, o designer Chipp Kidd conta um pouco sobre de onde tirou as ideias para as suas capas mais famosas, como Jurassic Park e 1Q84 e explica a importância de uma capa bem bolada para o mercado editorial. Para ele, o mais importante é saber mostrar ao leitor qual a cara da história que será contada nas páginas que se seguem e passar de forma eficiente o espírito da narrativa. Tudo isso com muito senso de humor.

“Eu amo as primeiras frases porque elas são cheias de promessas. Eu gosto de pensar nelas como um aperto de mãos introdutório feito de palavras, não dá para ser muito frouxo, muito forte, muito ansioso nem suado”

– UNA LAMARCHE

Conselhos para escritores do Incidental Comics

Conselhos para escritores do Incidental Comics

Incidental Comics

“O conselho de escrita mais importante: tenha algo a dizer. Sempre que eu tenho problemas escrevendo, é porque eu estou tentando escrever sobre alguma coisa que eu não me importo. Uma vez que eu saiba o que eu estou tentando dizer, escrever é fácil. Outro conselho: leia, leia, leia”

– GRETCHEN RUBIN

Como descobrir qual livro você quer escrever?

Outro dia o Austin Kleon, autor de Roube como um Artista e Mostre seu Trabalho, disse no blog dele que, observando a lua uma noite, teve vontade de ler uma história cultural sobre o astro. Então ele fez o que a todo mundo faz quando quer encontrar alguma coisa: foi perguntar ao todo-poderoso e onisciente Google onde ele poderia saciar seu desejo.

Matt, um amigo do escritor, disse: “Idealmente, é essa a forma como a gente deveria encontrar qualquer coisa pra ler… e escrever”.  Austin já dava essa deixa em Roube como um Artista. Se você quer ler um livro e ele não existe ainda, então o escreva.

Achei interessante a historinha.

Livros Austin Kleon

  Você encontra Roube como um Artista e outros livros de Austin Kleon aqui (link afiliado).

Ação Poética, a inspiração que vem das ruas

Paredes brancas, letras negras, frases belamente construídas. Talvez você já tenha se deparado com uma intervenção dessas nos muros da sua cidade. Essas obras, sempre escritas por algum artista urbano inspirado, fazem parte de um movimento global, a Ação Poética.

Há cerca de 20 anos, o poeta mexicano Armando Alanís Prado resolveu sair pelas ruas de Monterrey, onde vivia, para colocar um pouco de poesia nos muros. Ele começou escrevendo poemas longos, mas logo se deu conta de que tanto texto acabava deixando sua ação distante das pessoas que estavam com pressa. Ele então mudou sua forma de escrever e resolveu a colocar versos mais curtos. Assim, a iniciativa começou a atrair os olhares e a curiosidade das pessoas que passavam por elas e logo a Acción Poética se disseminou pelo país e pelo mundo.

O movimento defende que a palavra é um bem comum e deve ser valorizado, aberta ao conhecimento e à reação do público. A intenção é causar sensações através da poesia e com ela arrancar sorrisos dos leitores, por isso, as frases pintadas costumam ser sobre sentimentos universais, como o amor.

A Ação Poética não tem dono. Qualquer um pode participar. Baster ter um muro branco (com autorização dos donos), uma tinta preta e uma ideia na cabeça. A rua é um convite.

Ação Poética- Badalona

Ação Poética

Fonte

Ação Poética - Bailemos

Fonte

Ação Poética 5

Fonte

Ação Poética

Ação Poética

Fonte

« Older posts

© 2017 Oxford Comma

Theme by Anders NorenUp ↑