Uma boa forma de aprender qualquer coisa é aproveitando os anos de conhecimento e experiência de gente absolutamente genial naquela arte. Aqui estão alguns top 10 (ou top 6. Ou 7. Ou 8) com os melhores conselhos de alguns veteranos da literatura, colecionados pelo site Open Culture e traduzidos por mim (por isso, desculpe qualquer coisa).

Dicas de escrita de Henry Miller

Henry Miller (de seu livros Henry Miller on Writing)

1. Trabalhe em apenas uma coisa até que você termine.
2. Não comece novos livros nem adicione novo material a “Black Spring” (livro).
3. Não fique nervoso. Trabalhe, calma, alegre e irresponsavelmente com o que quer que esteja nas suas mão naquele momento.
4. Trabalhe de acordo com o seu planejamento e não de acordo com o seu humor. Pare na hora programada.
5. Quando você não pode criar, não pode trabalhar.
6. Semeie um pouquinho a cada dia em vez de usar novos fertilizantes.
7. Mantenha-se humano! Veja pessoas, vá a lugares, beba se tiver vontade.
8. Não seja um cavalo de carga! Só trabalhe com prazer.
9. Descarte o planejamento quando tiver vontade, mas volte a ele no dia seguinte. Concentre-se. Estabeleça limites. Exclua.
10. Esqueça os livros que você quer escrever. Pense apenas no livro que você está escrevendo.
11. Escrever vem primeiro. Pintura, música, cinema, tudo isso vem depois.

George Orwell (From Why I Write)

1. Nunca use uma metáfora, símile ou outra figura de linguagem que você está acostumado a ver  impresso.
2. Nunca use uma palavra longa em situações em que uma palavra pequena serve.
3. Se é possível cortar uma palavra, corte.
4. Nunca use a voz passiva em situações em que você pode usar a voz ativa.
5. Nunca use uma palavra estrangeira, científica ou um jargão se você pode pensar em um equivalente na sua língua.
6. Quebre qualquer dessas regras antes de escrever algo horrível.

Margaret Atwood (para o The Guardian)

1. Use um lápis para escrever em aviões. Canetas vazam. Mas se o seu lápis quebrar a ponta, você não pode apontá-lo no avião, porque não é permitido levar facas à bordo. Por isso, leve dois lápis.
2. Se ambos os lápis quebrarem a ponta, você pode apontá-los de forma bastante rústica usando uma lixa de unhas de metal ou vidro.
3. Leve algum material para escrever. Papel é bom, mas pedaços de madeira ou o seu braço também servem.
4. Se você está usando um computador, sempre salve novos textos com um pen drive.
5. Faça exercícios para as costas. A dor é uma distração.
6. Prenda a atenção do leitor. (Isso funcionará melhor se você puder prender a sua própria). Mas você não sabe quem é o leitor, então será como pescar com um estilingue no escuro. O que fascina o leitor A vai deixar o leitor B entediado.
7. Você certamente necessita um tesauro, uma gramática rudimentar e um cheque de realidade.  Isso significa que: não há almoço grátis. Escrever é trabalho. É também aposta. Você não ganha um plano de aposentadoria. Outras pessoas podem te ajudar um pouquinho, mas é essencialmente você. Ninguém te obriga a fazer isso: você escolheu, então não reclame.
8. Você nunca poderá ler seu próprio livro com a antecipação inocente que vem com a primeira página deliciosa de um novo livro, porque você o escreveu. Você esteve nos bastidores. Você viu como os coelhos foram contrabandeados para o chapéu. Portanto, peça que um ou dois amigos o leiam antes de passar para alguém do meio editorial. Esses amigos não devem ser alguém com quem você tem alguma relação romântica, a menos que você pretenda terminar.
9. Não se sente no meio da floresta. Se você está perdido ou bloqueado, refaça seus passos para descobrir o que deu errado. Depois pegue outro caminho. E/ou mude o personagem. Mude o tempo verbal. Mude a página de abertura.
10. Rezar pode funcionar. Ou ler outra coisa. Ou uma visualização constante do santo graal que é a versão terminada e publicada do seu livro resplandescente.
Neil Gaiman 
1. Escreva.
2. Coloque uma palavra após a outra. Ache a palavra correta, coloque-a aí.
3. Termine o que você está escrevendo. Seja o que for que você tenha que fazer para terminar, termine.
4. Coloque seu trabalho de lado. Leia-o fazendo de conta que você nunca o leu antes. Mostre para amigos que você respeite a opinião e que gostem do tipo de coisa que você escreveu.
5. Lembre-se: quando alguém diz que alguma coisa não funciona para eles, eles estão quase sempre certos. Quando te dizem exatamente como consertar isso, estão quase sempre errados.
6. Arrume o texto. Lembre-se que, cedo ou tarde, antes que você alcance a perfeição, você terá que deixar aquele texto, seguir em frente e começar a escrever o texto seguinte. Perfeição é como correr atrás do horizonte. Continue caminhando.
7. Ria das suas próprias piadas.
8. A regra principal é que se você fizer algo com segurança suficiente, você pode fazer o que quiser. (Essa regra pode valer para a vida e  para a escrita. Mas é definitivamente válida para a escrita). Então escreva sua história da forma como ela precisa ser escrita. Escreva-a de forma honesta e conte-a da melhor forma que você puder. Eu não tenho certeza se há algum outra regra. Não alguma que importe.