Ninguém dá a mínima pra Oxford Comma

Esse não era bem o título que eu estava procurando. Ter um blog já é uma evidência incontestável de narcisismo e a minha ideia era elevar isso a algumas potências. Já não bastassem as selfies e uma página inteira dedicada a apresentar a “autora”, meu nome ainda deveria ficar bem à mostra, em letras garrafais pairando acima de todo o resto. Mas nenhum esforço de criatividade foi suficiente para criar alguma coisa legal, inteligente e descolada que combinasse com Natália.

Natália. Que nome desajeitado! No dicionário de rimas, quase todas as palavras remetiam a alguma enfermidade ou termos de botânica. Anomalia, glossolalia, acefalia. Ainda bem que eu não inventei de namorar um poeta.

Não sei bem em que ponto da pesquisa eu fui tragada pelo buraco negro da Wikipedia e acabei em um verbete sobre regras de pontuação em inglês. E lá estava: Oxford Comma, uma mera vírgula que é capaz de levantar debates calorosos entre alguns dos maiores escritores, editores e acadêmicos do mundo. Uma controversia linguística. Pareceu apropriado.

O que eu não conseguia explicar a mim mesma, naquela hora, era o motivo pelo qual eu estava checando domínios para um novo blog nas primeiras horas da madrugada mesmo sabendo que estava prestes a cometer uma insanidade. Um blog é como um caderno, e já tinha tempos que eu queria começar um novo, cheio de páginas branquinhas para preencher. O problema é que eu já tenho muitos cadernos para lidar nesse momento. Tem o 360meridianos, um brochurão sem precedentes; tem o curso de espanhol; a mudança para a Argentina e o mestrado começando no ano que vem.

Por isso estou aqui, correndo o risco de ficar com cara de tacho na frente de todo mundo se o provável acontecer e eu tiver que abortar a missão em alguns meses. Mas é um risco necessário. O problema de estar entre o pequeno grupo de afortunados que conseguem transformar sua paixão em trabalho é que você transforma sua paixão em trabalho. E, quando isso acontece, grandes são as chances do seu trabalho tomar proporções gigantescas na sua vida. E pior: te tornar uma pessoa monotemática.

É por isso que precisava tão desesperadamente de um outro caderno, de um novo projeto paralelo depois que o meu projeto paralelo se tornou o principal: para ter espaço para falar de outras coisas, desenvolver novos interesses, habilidades e para que eu possa blogar mais livre e leve do jeito que eu fazia quando tudo era uma brincadeira.  Mas como todo projeto precisa de um foco, um recorte e um objetivo, resolvi que seria perfeito se eu compartilhasse aqui minhas impressões sobre outra das minhas paixões, a escrita. Por isso, o Oxford Comma vai reunir não apenas meus causos e crônicas, mas também as pessoas e coisas que me inspiram e as descobertas que eu fizer sobre a arte de botar palavras no papel.

Que venham as vírgulas.

Ps1. Oxford Comma é também uma música do Vampire Weekend, que eu não conhecia até checar a disponibilidade do domínio, embora tenha de fato inspirado o título desse post.

Ps2. Esse vídeo do TED-Ed explica direitinho qual é a treta com essa vírgula.

14 Comments

  1. Gostei muito do tema do blog! Estou começando minha jornada nesse louco mundo louco da escrita.

  2. Adorei a ideia, adorei o nome, adorei a polêmica da vírgula!

    Espero que o blog siga por muito tempo (e a inspiração também). Um beijo!

  3. Ai Meu Deus Natália, mais um blog pra acompanhar, ainda bem hehhehe

    Boa sorte com seu novo caderno e eu já estou adorando, leitura e viagens são minhas paixões.

    Adoro seus textos, parabéns

  4. Murilo César Becattini Pereira

    19 de julho de 2015 at 21:40

    Parabéns Natália, muito bom o seu blog. Gostei muito. Estou torcendo para o sucesso deste blog. Bjs

  5. Adorei o primeiro texto, Natália… Sempre gostei de novos projetos, novos cadernos, novos caminhos… A vida é assim mesmo, foi feita para recomeços, novas folhas em branco. Com certeza irei acompanhar você por aqui.

  6. São as loucuras que tornam a vida muito mais leve e feliz!!!!

  7. Que bacana, Natália.
    É bom se aprofundar em outros assuntos, escrever sobre outras coisas, viver outras realidades. Boa sorte no novo projeto. Vou acompanhar!
    Um abraço.

  8. Miriam Rodrigues

    17 de julho de 2015 at 14:25

    Adorei. Parabéns.

  9. Natália, me li tanto em suas palavras, no desejar achar um espaço para escrever, sem compromisso e sem arroubos empreendedores. Estarei sempre por aqui, claro. Vou adorar saber das virgulas polêmicas. Sucesso e que ele só lhe traga paixão e felicidade. BjO

  10. Naty

    Já gostei do primeiro texto. É sempre bom ter coisas interessantes para ler na internet.

    Bjs!

  11. Adorei! Desejo que este caderno seja tão encantador como o outro 🙂
    Parabéns Nati.

  12. Nat, adorei saber que agora você tem um novo blog.
    Agora vou poder acompanhar seus outros pensamentos, sem ser sobre viagens. =)
    Mais um blog pra eu seguir. Parabéns!

  13. Eu não reclamo. Pode criar mil blogs que vou tentar lê-los todos. Pode escrever mais sobre viagens, músicas, livros, e vírgulas polêmicas. 😉

  14. Texto, ótimo como sempre. Vai ser legal ver você escrever sobre outros assuntos, depois de tanto tempo falando de viagem. 🙂

    Parabéns pelo novo caderno.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

© 2018 Oxford Comma

Theme by Anders NorenUp ↑