“Eu começo com muitos tipos diferentes de ideias. Algumas vezes é apenas uma imagem, algumas vezes é com um personagem que eu imagino e eu quero contar a história dele. Algumas vezes é uma foto. Não existe regra. O que eu faço é, quando o gatilho para a história aparece, eu me pergunto se aquilo consegue prender a minha atenção por um ou dois anos, que é o tempo que eu demoro para escrever um livro. Perder o prazer no início é algo muito perigoso. Se você tem tempo, brinque com diferentes ideias para aquela história. Se pergunte se aquele é seu principal projeto ou um projeto paralelo, mas se dê a liberdade de não decidir sobre isso no momento.”

– Cornelia Funke para o curso The Future of Storytelling