Category: Sem Categoria

Novo canal no Medium

Vocês já devem ter reparado, mas vou afirmar o óbvio mesmo assim: tem sido muito difícil, ao longo desses anos, manter esse espacinho aqui bem nutrido da forma como eu gostaria. Cuidar de um blog não é tarefa fácil, de dois, então, é loucura. Eu bem que avisei lá no texto que inaugura o Comma que corria o risco de eu não dar conta.

Por isso, ao longo das últimas semanas, transferi o conteúdo que eu considerei mais relevante daqui para o meu canal no Medium. A plataforma me permite publicar meus texto como num blog, porém sem muito a mão de obra que está por trás de manter um espaço desses em pé. É escrever e publicar, como a gente costumava fazer na internet de antigamente, e acho que é isso que eu estou precisando no momento. Se você gostava desse espaço aqui, mesmo com essa dieta hipocalórica de palavras à qual submeti o Comma nos últimos tempos, peço que me siga por lá e, se quiser, também dê uma forcinha lá no Instagram e na newsletter, espaços que eu vou continuar usando para falar da vida, da escrita e do que passa aqui dentro.

Desafio de sexta: A lista incompleta dos pequenos prazeres

No filme O Fabuloso Destino de Amelie Poulain, a protagonista possui uma série de pequenos prazeres diários: mergulhar a mão em sacas de grão, partir o queimado do crème brûlée com a ponta da colher e fazer ricochetes na água do Canal St. Martin.  O designer Frank Chimero também tem uma lista do tipo: chamar as pessoas da família pela primeira letra do nome, reler algum livro, observar pontes.

Qual a sua lista de pequenos prazeres?

Escreve as pequenas coisas que te fazem feliz no dia a dia e compartilhe com a gente. Pode ser que você nem tenha dado atenção a algumas delas até esse momento.

“Uma forma de se ter ideias é fazer algo chato… Elas voam pra sua cabeça como pássaros”

– JOHN CAGE

Estou tentando reaquecer meu relacionamento com a música. Não que a gente tenha terminado algum dia, mas a paixão esfriou e caiu na rotina. E, nesse esforço de deixar a chama mais viva, acabei entre lembranças dos velhos tempos, das descobertas e dos dias em que eu colocava uma canção para tocar até corromper o arquivo. Essa música foi um desses casos de amor.

So tell me what’s going on with graniteville
got your whole town under the sleeping pill
It’s a quiet little city, you grew up together
there’s a picture looking out your grandmother’s window
there’s a black train running through the middle of the night,
if it finds us here, well there’s nowhere to hide
And if we ever wake up in graniteville,
you know how much I love you and I always will

– Doug Burr, Graniteville

 

© 2019 Oxford Comma

Theme by Anders NorenUp ↑