“Eu realmente acredito que escrever seja um ato de coragem. É quase um ato físico de coragem. Você se levanta e tem essa grande ideia. Talvez você vá se divertir com seus amigos – vocês tomam algumas cervejas e falam sobre qualquer coisa. Você tem essa grande ideia e eles dizem: ‘Nossa, isso é brilhante! Alguém deveria escrever isso!’. Mas quase sempre o que era brilhante antes, quando vocês estavam sentados e conversando, de alguma forma não é mais tão brilhante assim quando você se senta para escrever. É quase como se você tivesse uma música em sua cabeça, e tentar colocar essa música no papel é um inferno absoluto. E então você falha. Se você está fazendo isso corretamente, o que acontece é que a tradução daquilo que está na sua cabeça, da sua ideia, quase sempre sai muito, muito ruim no papel quando você escreve pela primeira vez, entendeu? Mas o que você tem fazer é dar um tempo, voltar, revisar de novo e de novo até conseguir alguma coisa que seja talvez uns 70% daquilo que você queria fazer. Você precisa tentar ir do muito ruim para o ok para o aceitável. Então seu trabalho estará completo. Eu nunca consigo chegar naquela coisa perfeita que estava na minha cabeça, por isso eu considero que todo o processo é sobre falhar. Eu acho que essa é a principal razão pela qual a maior parte das pessoas não escreve. É bastante deprimente, de certa forma.”

– Ta-Nehisi Coates (Tradução livre)